MAQUIAGEM CONCEITUAL - VOCÊ SABE O QUE É ISSO?

Olá pessoal! Tudo ok com vocês, belezuras?

Hoje eu vim falar sobre um ramo do trabalho com maquiagem que muitas vezes passa "batido" pelo grande público, mas que é extremamente interessante, moderno e gostoso de praticar.  É a chamada MAQUIAGEM CONCEITUAL.

Os conceitos de maquiagem social e artística são mais difundidos e conhecidos da galera.  Todo mundo já sabe que a MAQUIAGEM SOCIAL é aquela que se dedica a disfarçar imperfeições, corrigir problemas e embelezar.  Tem por finalidade valorizar os traços que a pessoa possui de melhor e "esconder" o que não é esteticamente bonito dentro de um padrão estabelecido pela cultura social.  Já a MAQUIGEM ARTÍSTICA é aquela que visa a transformação do rosto em arte, produzindo personagens, criando estereótipos, brincando com o lúdico.  Está presente em palcos de teatro, filmes e em todas as atividades onde é necessária uma caracterização especial, não sendo presa especificamente aos conceito de beleza e padrões sociais.

Diferente destes tipos e ao mesmo tempo tendo pontos em comum com ambos, a MAQUIAGEM CONCEITUAL pode possuir elementos SOCIAIS ou ARTÍSTICOS, mas anda por estradas e caminhos que podem ir além dos limites destes outros tipos de maquiagem.


A MAQUIAGEM CONCEITUAL está presente em desfiles, nas passarelas, em editoriais de moda, publicações em revistas, publicações on-line, entre outros meios de comunicação.  Ela não tem a obrigação de ser usável ou comercial, mas sim de apresentar tendências, de sugerir estilos, de compor as proposta de um estilista, de uma marca, de um editorial de moda ou de um maquiador.

As cores, os traços, as formas, o brilho ou a ausência dele, tudo traz consigo a intenção de representar e reforçar os conceitos que estão sendo transmitidos.  Pode ser suave, intensa, carregada ou neutra, tudo depende da proposta inicial.  Pode acompanhar elementos, situações, estações do ano, clima, etc... São tantas nuances e variações que fica até difícil listar.


Então, pelo que já foi comentado, o maior uso da MAQUIAGEM CONCEITUAL se dá no âmbito da MODA, até mesmo porque existe um conceito de MODA CONCEITUAL que está muito em evidência hoje em dia e que forçou o universo da maquiagem a se adaptar a ele.

Nos desfiles conceituais os estilistas se inspiram em algum tema para criar sua coleção, pode ser uma música, arte, animal, filme, determinada época ou lugar, entre outros. Expressam a identidade da marca, de forma extravagante e exagerada. Esses desfiles vão apontar os tecidos, texturas, cores, estampas, modelagens que serão tendências nas próximas coleções.  Com isso, a maquiagem segue a tendência destes desfiles, adaptando-se aos projetos propostos, sendo ousada, diferente e nada básica.

A maquiadora de moda Cecília Macedo lista quais são as características da maquiagem que são aplicadas à moda e vice-versa:

"Em um editorial você irá precisar aplicar, na hora de compor um look, alguns efeitos de sombra e luz no rosto da modelo, para que a sua maquiagem transpareça de uma forma correta com a luz do fotógrafo. A mais importante característica de moda aplicada na maquiagem, em minha opinião, é quando o maquiador consegue traduzir uma tendência forte de mercado para um determinado tipo de rosto, por exemplo, saber dar profundidade na hora de fazer a pele num rosto redondo (oval) para que a modelo apareça adequada em um editorial fashion...  Nem sempre irá existir uma tendência de moda num trabalho de editorial, as vezes o maquiador tem que ter a sensibilidade de fazer "um nada" no rosto da modelo ou as vezes ele perde umas boas horas para criar um look do editorial. Ele sempre tem de pensar que o conceito de arte e moda, andam juntas. O maquiador de editorial precisa estar muito ligado nas tendências para antecipá-las e pode fazer isso, usando boas fontes, lendo revistas de moda atuais e antigas, por exemplo."


O mais interessante é que, na minha opinião, quase todas as publicações em revistas, fotos espalhadas pela internet, exposições de fotos e trabalhos que envolvem MAQUIAGEM CONCEITUAL são muito instigantes, agradáveis aos olhos, inspiradores e bastante estimulantes...  Me dão vontade de experimentar variações, do tipo: "porque não tentar usar o blush daquele jeito pra ver no que dá?"...   Ou seja, mesmo não sendo tão comercial (leia-se "usável"), a MAQUIAGEM CONCEITUAL nos remete à uma liberdade de expressão na nossa própria maneira de de ser, de usar os produtos, de ousar.  Eu amo e acho lindas algumas propostas que vejo por aí!





Sem dúvida o maquiador que trabalha com este tipo de maquiagem precisa, além de estar antenado às novidades, ler muito, ter uma bagagem cultural, visual, experiência profissional e talento bem amplos para poder realizar um trabalho que além de técnico é extremamente artístico e, algumas vezes, até mesmo filosófico.


E vocês, pessoal? Já tiveram alguma experiência com MAQUIAGEM CONCEITUAL? Têm alguma sugestão de leitura sobre o tema? Gostariam de deixar algum comentário?
Fico super ansiosa pra saber o que vocês pensam sobre isso!

Comente aqui!